Uma rede levou minhas memórias.

Autora: Gláucia Figueredo.

 Confesso que por muitas vezes tentei criar um blog e começar a escrever minhas poesias e histórias. Devo ter alguns começados, porém nesse momento não lembro-me dos endereços e das senhas. Resolvi então passar a limpo toda minha história: Peguei meus rascunhos e em um computador fui digitando as minhas poesias e salvando em uma memória externa, um HD, na certeza de que estariam mais seguros. Assim também fiz com minhas fotos. Toda uma história, fotos de quando eu morava em Portugal, passeios, viagens, amigos, contos e casos escritos. Até romances faltando apenas corrigir e publicar. Era assim, meu sonho de publicar um livro. Mas, como agente sempre pensa que o mau não acontecerá conosco, em um dia de festa, no ultimo dia dos pais, 12 de agosto de 2012, resolvi fazer um pequeno churrasco e chamei meus irmãos, sobrinhos e amigos. Foi um dia feliz, tranquilo o dia todo, mas, quando fui guardar o meu computador vi que o meu HD havia desaparecido. Mesmo assim esperei que amanhecesse para perguntar se alguém havia guardado, mas nada. Liguei para todos que pude para perguntar e nada, para mim foi uma grande tristeza, não pelo HD e sim pelas minhas memórias. Tudo que guardei durante anos foi-me tirado sem nenhum rancor, e pior, por alguém em quem eu confiava. 
            Diante disso tudo resolvi então escrever tudo aqui neste blog. Não vou preocupar-me em corrigir erros gramaticais ou com estética, quero divulgar tudo. Também, assim fica registrado que são meus, e ficam aqui guardados. Espero que gostem e aceito críticas. 
              Desde já obrigada pela atenção e pela visita.